Relações Humanas

10 conselhos de como lidar com um relacionamento tóxico na família

2021-09-06

10 conselhos de como lidar com um relacionamento tóxico na família

Crescemos ouvindo que família são aquelas pessoas que possuem o mesmo sangue que nós. De fato, se levarmos em conta apenas a questão científica-biológica, isso é verdade. No entanto, não seria essa uma definição um tanto quanto simplista e, além de tudo, conformista? Podemos ter laços inabaláveis com alguns familiares, relações conturbadas com outros e, ao memo tempo, relações de profundo amor e respeito com pessoas que não têm o mesmo sangue do que nós. E não é porque alguém é da mesma família que nós, que devemos manter um relacionamento tóxico e prejudicar nossa saúde mental. Por isso, hoje vamos dar 10 conselhos de como lidar com um relacionamento tóxico na família.

relacionamentos toxicos
Foto: Pablo Stanic / Unsplash

1. Identifique de que forma essa relação é tóxica

Um relacionamento tóxico pode se manifestar de várias maneiras. Talvez seu parente sempre o rebaixe, não tenha empatia, seja passivo-agressivo ou o ignore quando você fala. Todas essas são formas de toxidade e falta de respeito e saber reconhecer a toxicidade e seus efeitos é o primeiro passo para compreender seus sentimentos e lidar com a situação.

2. Aceite que você talvez nunca compreenda de onde vem tanta agressividade

Às vezes, o motivo pelo qual uma pessoa o trata mal pode não ter nada a ver com o que você fez, mas pode ser apenas a maneira como eles processam e respondem às suas próprias experiências de vida. Dificuldades podem fortalecer uma pessoa ou torná-la amarga e esse pode ser o caso de seu familiar. As pessoas fazem terapia por anos, e muitas vezes ainda assim não compreendem muita coisa. Talvez você nunca compreenda de onde vem tamanha agressividade.

3. Não normalize a toxidade

Se você não fez nada de errado, não se esqueça de que não é normal que ninguém seja continuamente negativo, desrespeitoso e ofensivo com você. É muito fácil perder a perspectiva sobre o que é certo e errado, principalmente quando estamos em família.

4. Não espere nada dessa relação

Ao invés de se culpar e tentar se desdobrar para que essa relação dê certo, abandone de uma vez por todas as expectativas e aprenda a não esperar nada dessa relação. Sua felicidade não depende dela.

5. Você não pode salvar essa relação sozinho

Por mais difícil que uma relação seja, ninguém se relaciona sozinho. Ou seja, se a outra pessoa não estiver pronta ou disposta, você não pode fazer muito!

6. Aprenda a dizer ‘não’

Cabe a você decidir quanto espaço dará a este parente em sua vida. Aprenda a dizer ‘não’ sem se sentir mal por isso e minimize a quantidade de tempo que você gasta na presença deles, mantendo a comunicação em um nível mínimo baseado em respeito e apenas isso.

7. Não reprima seus sentimentos

Comunique seus sentimentos às pessoas em quem você confia. Falar sobre seus sentimentos é terapêutico e ajuda você a adquirir uma perspectiva sobre a situação.

8. Não faça fofocas sobre seu parente

Por mais difícil que essa relação seja, e por mais ofendido que você esteja, fofocar sobre a vida alheia nunca é o caminho. As pessoas perdem muito tempo e gastam muita energia falando sobre a vida dos outros, perdem o foco do que realmente importam e ainda correm o risco de dificultar ainda mais a relação ao fazer isso. Ninguém nunca foi feliz falando da vida alheia, repare nos fofoqueiros de plantão que você conhece: eles são felizes e estão satisfeitos com suas vidas?

9. Não entre na dele

Pessoas tóxicas geralmente são narcisistas e não perdem a oportunidade de culpar o outro e julgá-lo. E acredite: essas pessoas se alimentam dessa energia e esperam que você faça o mesmo. Portanto, não lhe dê munição para esse jogo de culpas, fique na sua e o deixe falando sozinho. Ter paz vale mais do que ter razão.

10. Mude o foco

Ao invés de se concentrar em tentar lidar com os relacionamentos tóxicos em sua vida, continue vivendo com seus valores e seja grato pelo que você tem e por quem você é. Você não tem culpa em relação à toxidade de seu parente e também não tem a menor obrigação de salvar ninguém!

 

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.