Animais

Após 40 anos de proibição da caça, baleias azuis voltam a reocupar as regiões polares

2021-01-18

author:

Após 40 anos de proibição da caça, baleias azuis voltam a reocupar as regiões polares

No começo do século 20, quando a caça às baleias ainda não era proibida, cerca de 1,3 milhões de baleias foram capturadas somente nos arredores da Antártida. Foi somente em 1986, que a Comissão Baleeira Internacional, formada por mais de 80 nações, decidiu proibir a caça destes mamíferos, que durante muito tempo figuraram na lista de animais em risco de extinção. Hoje, quase 40 anos depois da medida entrar em vigor, as baleias azuis finalmente voltaram a reocupar as regiões polares.

baleias azuis regioes polares 1

No século 20, 3000 baleias eram mortas todos os anos na região do Polo Norte, considerada o centro da caça às baleias do mundo. No entanto, um estudo recente descobriu que a população de baleias-azuis em torno da ilha da Geórgia do Sul, no Oceano Atlântico, cresceu nos últimos anos.

baleias azuis regioes polares 2

A boa notícia surge depois de 9 anos de monitoramento. Pesquisadores que monitoram a área registraram 41 novas baleias-azuis vivendo perto do arquipélago, o que indica que a espécie aos poucos está voltando à região. Porém, não é apenas à Antártida que as baleias estão voltando. No outro extremo norte do mundo, na região ao Alasca, registros mostram que a população de baleias também vêm aumentando nos últimos anos.

baleias azuis regioes polares 3

O objetivo, daqui para frente, é manter o ritmo, já que não são todas as espécies de baleia que estão retomando seus números pré-caça. Atualmente, muitos países já decretaram a proibição da caça às baleias. Canadá, Estados Unidos, Dinamarca, Groenlândia, Rússia e Coreia do Sul praticavam a baleação em maior ou menor escala, mas também já possuem restrições e regulamentações devido à pressão de organizações de preservação ambiental e de outros países.

 

Fotos: Unsplash

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.