Empatia

Médico visita paciente idoso em casa e toca sanfona para ele

2020-07-07

author:

Médico visita paciente idoso em casa e toca sanfona para ele

Ser médico é mais do que uma escolha profissional, é prova de amor e cuidado com o próximo, como mostra este vídeo. Thiago Tejo vive e trabalha na região de Tobias Barreto, em Sergipe e comoveu toda a equipe de um hospital ao tocar sanfona para um paciente idoso.

 

O médico faz parte da equipe “Melhor em Casa”, que costuma visitar alguns pacientes que não podem sair da cama, como é o caso do seu Rosalvo. Tudo começou na última semana, quando durante uma de suas visitas ele descobriu que o senhorzinho era um verdadeiro fã de forró e, inclusive, costumava ser pandeirista. Foi então que ele decidiu levar mais alegria à vida deste senhor levando sua sanfona na visita da semana seguinte.

médico toca sanfona paciente 1

“Em uma das visitas domiciliares ao seu Rosalvo, alguém da equipe comentou que o médico tocava sanfona. Seus olhos se encheram de lágrimas. Fui informado disso e quando fui visitá-lo comentei que tocava sanfona e coloquei um vídeo meu tocando no celular para que ele pudesse ouvir e mais lágrimas desceram”, contou o médico e sanfoneiro.

médico toca sanfona paciente 2

Ainda bem que existe a internet, que nos permite conhecer pessoas incríveis como este médico, que transformou a vida de um senhor enfermo com seu instrumento. Enquanto ele tocava, os dedos de seu Rosalvo também se movimentavam, como se ele estivesse acompanhando. Impossível não se emocionar!

médico toca sanfona paciente 3

Como era de se esperar, todas as pessoas que estavam no quarto começaram a chorar. “Ao levarmos a sanfona, não tinha como ser diferente. Ele chorou. Chorou muito. Chorei. Nossa equipe se emocionou. Acredito, inclusive, que aquele dia, aquele momento no qual comecei a tocar, foi simplesmente o ápice da minha vida como médico. Poderia dizer até que foi um dos ápices da minha vida como pessoa. Nunca fui tão feliz quanto naquele momento. Foi emocionante, diferenciado. Foi algo que transcende o entendimento humano”, explicou Thiago.

médico toca sanfona paciente 4

Diversos estudos já comprovaram os benefícios da música em nossos cérebros, sobretudo nos doentes. Pode parecer pouco, mas apenas alguns minutos de música podem transformar o dia de uma pessoa que está de cama. Depois da repercussão da iniciativa do médico, o programa começou a fazer a mesma coisa com outros doentes, levando assim, mais do que atendimento médico a estas pessoas, amor!

 

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

“Como profissional de saúde digo que estamos vivendo um dos momentos mais desafiadores do século, estamos tomando todos os cuidados necessários, fazendo o possível, buscando forças e serenidade para enfrentar tantos desafios diários. Hoje foi um dia muito esperando por todos nós que fazemos parte do MC Tobias. Como uma equipe se reuniria em tempos de pandemia para executar uma ação de São João sem prejudicar os pacientes, seria possível? Digo, foi POSSÍVEL! 😍👏🏼 Superamos TODAS adversidades e saiu tudo exatamente como planejávamos. Não poderíamos deixar nossos pacientes sem comemorar uma data tão importante, eles precisavam de nós. Com todo apoio e ajuda dos nossos gestores e coordenacão vestimos a camisa e realizamos. Construímos uma relação de carinho e respeito com nossos pacientes, e eles merecem o nosso melhor. Por fim, venho agradecer a Deus pela oportunidade de trabalhar em um lugar que me dá tudo que preciso para executar meu trabalho, agradecer a toda equipe do MC que é formada por profissionais EXCEPCIONAIS, INCRÍVEIS E COMPROMETIDOS. Foi lindo, emocionante e ficará pra sempre guardado na memória!” De: @paulinha_vila ISSO É MELHOR EM CASA TOBIAS BARRETO-SE 💃🏻🎇💙🏡 @emanuellyhora @diogenesalmeidatobias @prefeituratobiasbarreto

A post shared by Melhor Em Casa Tobias Barreto (@melhoremcasatobias) on

 

Thiago Tejo é formado na Universidade Federal do Acre e costuma prestar atendimento humanizado à populações carentes e vulneráveis. Foi por isto que ele passou a integrar o Exército Brasileiro e começou a atender indígenas e ribeirinhos no meio na floresta amazônica. “Viajar pela floresta amazônica adentro, 6 horas fisicamente desconfortável, e encontrar uma população que te espera quase que religiosamente, gente que precisa de atendimento, porém viu um médico há 2, 3, 10 anos, não tem preço”, afirma. Definitivamente, é um médico deste que todo mundo merece, não é mesmo?

 

Fotos: arquivo pessoal

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube