Relações Humanas

O mundo não é seu inimigo: baixe a guarda e seja mais feliz

2021-07-06

O mundo não é seu inimigo: baixe a guarda e seja mais feliz

Uma das maiores crenças coletivas presentes na vida das pessoas é a de que o mundo é um lugar cruel. A consequência disso é que passamos a acreditar que a experiência humana é permeada o tempo todo pelo sofrimento, e então as pessoas criam cascas protetoras, passam a ignorar sua vulnerabilidade e vivem como se o mundo fosse um grande inimigo pronto a dar o primeiro bote. Esta crença está ligada ao próprio instinto de sobrevivência, afinal, nossos ancestrais de fato tinham inimigos à espreita. No entanto, ao desenvolver mecanismos de defesa para se proteger, os seres humanos perdem uma oportunidade imensa de criar verdadeiras conexões, viver seus sonhos e experienciar a verdadeira felicidade.

mundo inimigo vulnerabilidade 1
Foto: GR Stocks / Unsplash

Essa é a história de muita gente que passa a vida se fechando ao acreditar que o mundo e as pessoas são os verdadeiros inimigos, quando na verdade nosso maior inimigo somos nós mesmos. A pesquisadora norte americana Brené Brown passou muitos anos estudando as conexões humanas, até que chegou à conclusão de que a vulnerabilidade tinha um papel crucial nisso. Sua palestra ‘O Poder da vulnerabilidade’ no TED Talk foi feita em 2011, mas continua até hoje sendo uma das mais assistidas do projeto.

mundo inimigo vulnerabilidade 2
Foto: Rémi Walle / Unsplash

A assistente social e palestrante explica que uma das razões da vida são as conexões que estabelecemos com os outros, mas que essa habilidade de se conectar exige coragem para se mostrar e, sobretudo, vulnerabilidade. E assim, sua conclusão é de que a vulnerabilidade está longe de ser uma fraqueza, mas sim uma força potente, uma mola que move o mundo.

mundo inimigo vulnerabilidade 3
Foto: Marco Bianchetti / Unsplash

Quando estamos na defensiva e temos dificuldade de confiar nas pessoas, não somente estamos perdendo uma oportunidade de criar uma verdadeira conexão, como de sermos felizes. Fazer as pazes com o passado é fundamental neste aspecto, honrar as experiências que você viveu e especialmente as desafiadoras e para as pessoas que te fizeram sofrer, é o único caminho para a cura interior. Baixar a guarda não é apenas uma decisão que tomamos do dia para a noite, esse é o resultado de um trabalho constante de autoconhecimento. É preciso olhar para nossas sombras e para tudo que já vivemos e fazer as pazes com isso tudo. Somente depois disso você estará apto a viver uma vida abundante, feliz e sem a falsa ideologia de que o mundo é um inimigo. Se você quer aprender a limpar suas crenças limitantes e ter acesso ao caminho do autoconhecimento, conheça a JAC – Jornada da Abundância e Cocriação. Nosso curso é um verdadeiro manual de como ressignificar uma série de conceitos que podem estar empacando sua vida.

 

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.