Felicidade

Quantidade X qualidade: como ser mais feliz através do minimalismo

2021-08-24

Quantidade X qualidade: como ser mais feliz através do minimalismo

Poder comprar aquilo que estávamos sonhando há tempos, é de fato muito agradável. Mas a pergunta aqui é: será que precisamos mesmo de tantas coisas? A ironia é que, quanto mais acumulamos, mais presos ao conceito de que a felicidade está atrelada ao consumismo ficamos – e menos liberdade temos de viver outros tipos de experiência. Foi por meio deste questionamento que surgiu o minimalismo, movimento que vem ganhando força desde o início da pandemia. Quando a liberdade nos foi tirada, as pessoas começaram a valorizar muito mais uma fuga à natureza do que um armário repleto de coisas caras, por exemplo.

minimalismo 1
Foto: tu tu / Unsplash

A verdade é que a felicidade só pode ser encontrada se você se libertar de todas as outras distrações e o excesso de consumismo, estimulado pelas redes sociais, nos oferece uma série de distrações. Só seremos felizes quando comprarmos aquela bolsa, aquele carro, publicar uma foto naquele restaurante.

minimalismo 2
Foto: Sarah Dorweiler / Unsplash

E neste sentido, as crianças têm muito a nos ensinar em relação ao minimalismo. Apesar das diversas opções de brinquedos, elas costumam sempre brincar com o mesmo – e ele pode ser um boneco feito de papelão, tão simples quanto importante pra ela. A chave do minimalismo é saber escolher algumas coisas favoritas e se sentir suficiente e feliz com elas.

minimalismo 3
Foto: Samantha Gades / Unsplash

O excesso de coisas está atrapalhando sua vida, à medida que você perde tempo pagando por elas, você vende seu tempo em troca de coisas que ficam empoeirando no armário. Ser minimalista não significa que você precisará sacrificar todas as suas posses e viver como um monge, mas que tem discernimento para saber que a qualidade vale muito mais do que a quantidade. E isso vale para relacionamentos também!

O minimalismo nas relações

Engana-se quem pensa que pode manter mais de 100 amigos ao mesmo tempo. A qualidade de nossas relações também importa. Entre centenas de conexões digitais, com quantas pessoas você passa tempo na vida real? Com quantas delas você pode contar para ouvir um problema ou te ajudar a crescer? Aposto que essas você conta nos dedos de uma mão. Pois é, são esses os seus verdadeiros amigos!

Em vez de depender de conexões de nível superficial que simplesmente nasceram da facilidade das redes sociais, invista seu tempo e energia nos relacionamentos de verdade, com pessoas que compartilham os mesmos valores e te ajudam a crescer.

O minimalismo no tempo

Se fazer uma limpa no armário e na garagem pode parecer desafiador para você, talvez o mais difícil seja avaliar quais são os nossos ladrões de tempo. Observe os compromissos e atividades que ocupam seu tempo. Você pode delegar a outra pessoa ou abandoná-la completamente? Quanto tempo você perde passeando pelo feed do Instagram todos os dias? Quando foi a última vez que você sentou e leu um livro por horas? E você ainda tem coragem de afirmar que não faz isso por falta de tempo?

Quanto vale o seu tempo? Faça essas 3 perguntas a você mesmo: 1) Essa tarefa agrega valor à minha vida?
2) O que aconteceria se eu não fizesse essa tarefa? 3) Esta tarefa está alinhada com meus valores?

Uma vida de favoritos

Imagine uma vida onde você só usa suas roupas favoritas, só se cerca de pessoas que te elevam e trazem alegria para seus dias e  uma vida onde você tem tempo para fazer as atividades que mais gosta. O minimalismo significa, entre outras coisas, estar cercado de favoritos, o que pode nos levar a uma vida mais feliz e gratificante.

 

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.